Ano 1 - nº 4 - agosto/novembro de 2009

“POE TINHA MUITA VAIDADE DO SEU PODER DE RACIOCÍNIO
John Macy



As histórias de Poe baseiam-se em situações misteriosas e nos ainda mais misteriosos efeitos que tais situações exercem nos espíritos. Fazia o que hoje chamamos de arte psicológica. Criou o detetivismo muito antes de Conan Doyle haver dado ao mundo o seu Sherlock Holmes. Para Poe uma história desse tipo não era questão do criminoso ser ou não ser preso e punido: era indagar como age a lógica humana em presença do fato. (...) Poe tinha muita vaidade do seu poder de raciocínio, afirmando e provando que qualquer enigma ou mistério, intelectual ou mecânico, que um homem possa criar, outro pode solver.

 

Este texto foi transcrito do livro História da Literatura Mundial (The Story of the World’s Literature, 3ª edição, tradução de Monteiro Lobato, São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1946, pp. 409-410), de John Macy