Ano 1 - nº 4 - agosto/novembro de 2009

“Sou Poe, pensou. Sou o que restou de Edgar Allan Poe (...). Sou a casa de Usher, caindo em chamas. Sou a Morte Rubra. Sou o homem emparedado na catacumba com um frasco de Amontillado...
(...)
Sou Usher, sou o Maelström, sou o Manuscrito Encontrado numa Garrafa, sou o Poço e o Pêndulo, sou o Coração Revelador, sou o Corvo, nunca mais, never more...”
William Lantry, no conto “Pilar de Fogo”, de Ray Bradbury