Ano 3 - nº 9 - fevereiro/maio de 2011

“NÃO PODEM MOSTRAR PECK COM ESSE BIGODE!”
Maurizio Colombo



Um caso divertido ligado ao filme O Matador (The Gunfighter, 1950) ilustra bem os deveres que um astro da época tinha com público; e diz respeito ao bigode exibido por Gregory Peck, aliás Jimmy Ringo, no filme. Feito com alguns tufos de cabelo do ator, devia conferir um ar autêntico ao personagem. Mas quando o produtor Darryl F. Zunuck, chefe de produção da 20th Century-Fox, viu a película pronta, ficou furioso: “Não podem mostrar Peck com esse bigode! As pessoas pagam ingressos para ver seu rosto limpo. Vão arruiná-lo para sempre!”
Outro problema surgiu sobre o final melancólico, no qual Ringo é morto por um jovem meliante, que, além de tudo, ainda o acerta por trás. Diante de uma cena dessas, Zanuck explodiu uma segunda vez, mas muito mais estrondosamente.
(...)
Em suma, o filme parecia um desastre. Zanuck estava pronto para filmar tudo de novo, com a condição de que Gregory Peck aparecesse com o rosto completamente limpo e que seu personagem não morresse. Porém, o diretor Henry King e o astro bateram o pé. E levaram a melhor: O Matador comoveu público e crítica, entrando por direito na lista dos poucos superclássicos do Western.

 

Este texto foi transcrito do número 22 de Almanaque Tex (São Paulo, Mythos, maio de 2004, p. 11)