Ano 2 - nº 7 - julho/setembro de 2010

CYD CHARISSE, NASCIDA PARA DANÇAR E ENCANTAR
Divino Rodrigues da Silva



Cyd Charisse foi uma das maiores dançarinas que já apareceu em Hollywood.
Qualquer admirador de filmes musicais concorda com esta afirmação.

 

Cyd Charisse, cujo verdadeiro nome era Tula Ellice Finklea, nasceu em 8 de março de 1921, em Amarillo, no estado do Texas.
Seu pai, um comerciante de jóias, amava balé e encorajou-a a aprender a dançar. E, com quatorze anos de idade, Tula Ellice, usando o nome de Felia Sidorova, entrou para a célebre companhia Ballet Russe, com a qual excursionaria pelos Estados Unidos e pela Europa.
Em 1939, ela casou-se com seu ex-professor de dança, Nico Charisse (*), que lhe deu um sobrenome mais artístico – o Cyd veio do apelido familiar Sid, resultante do fato de que seu irmão caçula não conseguia pronunciar corretamente o diminutivo de sister (irmã), ou seja, sis (mana).
A estréia de Cyd Charisse nas telas cinematográficas ocorreu em 1943, num número de dança do filme Canta Coração. Nesse mesmo ano, ela interpretou uma dançaria do Balé Bolshoi, na fita Missão em Moscou. Em seguida, o coreógrafo Robert Alton e o produtor Arthur Freed a contrataram para dançar com Fred Astaire no musical Ziegfeld Follies.
A partir de 1946, já com um contrato assinado com a MGM, Cyd Charisse apareceria – sempre dançando – em vários musicais. Também faria diversos papéis dramáticos, representando geralmente exóticas garotas latinas ou mestiças americanas. Mas foi, em 1952, graças a um número de dança em Cantando na Chuva que se tornou uma estrela.
Cyd Charisse se tornou famosa graças a Cantando na Chuva, ao aparecer ao lado de Gene Kelly (1912-1996), na seqüência “Broadway Melody Ballet”. E é vendo e revendo essa seqüência, que permanecerá para sempre na Calçada da Fama dos Musicais de Hollywood, que percebemos que Cyd Charisse nasceu para dançar e encantar...
E este texto, condensado de um artigo que excrevi para a revista Matinê, que edito, é minha modesta homenagem a Cyd Charisse.

 

NOTA:

(*) Cyd Charisse divorciou-se de Nico Charisse em 1947. No ano seguinte, ela casou-se com o cantor Tony Martin, de quem se separaria somente ao morrer, em 17 de junho de 2008.



CYD CHARISSE – FILMOGRAFIA


Canta Coração
(Something to Shout About, 1943)
Direção: Gregory Ratoff


Missão em Moscou (Mission to Moscow, 1943)
Direção: Michael Curtiz

As Garçonetes de Harvey (The Harvey Girls, 1946)
Direção: George Sidney

Quando as Nuvens Passam (Till the Clouds Roll By, 1946)
Direção: Richard Whorf

Três Tolos Sabidos (Three Wise Fools, 1946)
Direção: Edward Buzzell

Ziegfeld Follies (Ziegfeld Follies, 1946)
Direção: Vincente Minnelli

Festa Brava (Fiesta, 1947)
Direção: Richard Thorpe

A Dança Inacabada (The Unfinished Dance, 1947)
Direção: Henry Koster

Beijou-me um Bandido (The Kissing Bandit, 1948)
Direção: Laslo Benedek

Minha Vida É uma Canção (Words and Music, 1948)
Direção: Norman Taurog

Numa Ilha com Você (On an Island with You, 1948)
Direção: Richard Thorpe

Mundos Opostos (East Side, West Side, 1949)
Direção: Mervin LeRoy

Tensão (Tension, 1949)
Direção: John Berry

A Marca do Renegado (Mark of the Renegade, 1951)
Direção: Hugo Fregonese

Cantando na Chuva (Singin’ in the Rain, 1952)
Direção: Gene Kelly & Stanley Donen

Terras do Norte (The Wild North, 1952)
Direção: Andrew Marton

México dos Meus Amores (Sombrero, 1953)
Direção: Norman Foster

A Roda da Fortuna (The Band Wagon, 1953)
Direção: Vincente Minnelli

Bem no Meu Coração (Deep in My Heart, 1954)
Direção: Stanley Donen

A Lenda dos Beijos Perdidos (Brigadoon, 1954)
Direção: Vincente Minnelli

Dançando nas Nuvens (It’s Always Fair Weather, 1955)
Direção: Gene Kelly & Stanley Donen

Viva Las Vegas (Meet Me in Las Vegas, 1956)
Direção: Roy Rowland

Meias de Seda (Silk Stockings, 1957)
Direção: Rouben Mamoulian

A Bela do Bas-Fond (Party Girl, 1958)
Direção: Nicholas Ray

Turbilhão de Paixões (Twilight for the Gods, 1958)
Direção: Joseph Pevney

Malhas Negras (Black Tights, 1960)
Direção: Terence Young

Cuidado com as Viúvas (Five Golden Hours, 1961)
Direção: Mario Zampi

A Cidade dos Desiludidos (Two Weeks in Another Town, 1962)
Direção: Vincente Minnelli

Assassinato em Roma (Assassinio Made in Italy, 1963)
Direção: Silvio Amadio

O Agente Secreto Matt Helm (The Silencers, 1966)
Direção: Phil Karlson

Marrocos 7 (Maroc 7, 1967)
Direção: Gerry O’Hara

Won Ton Ton, O Cachorro Que Salvou Hollywood (Won Ton Ton, The Dog Who Saved Hollywood, 1976)
Direção: Michael Winner

Guerreiros da Atlântida (Warlords of Atlantis, 1978)
Direção: Kevin Connor