Ano 2 - nº 5 - dezembro de 2009/fevereiro de 2010

A UMA JOVEM QUE SE VANGLORIAVA DE SUA BELEZA
Safo



À sepultura descerás sem glória.
Tua beleza e teu vago esplendor
não deixarão memória.
Vai, que a morte te espera ao final da carreira
e, devorando-te inteira,
sepultará num momento
teu nome no perpétuo esquecimento.

 

Este poema foi transcrito do livro Safo Lírica (tradução de Jamil Almansur Haddad, São Paulo, Edições Cultura, 1942, p. 46)