Ano 1 - nº 3 - maio/julho de 2009

O CASTELO DOS VAMPIROS
Jean Rollin



Numa colina coberta por um bosque, ergue-se um castelo da Idade Média.
Com suas salas redondas e escadas vertiginosas, esse castelo é habitado por dois irmãos e a amante de ambos, a loura e encantadora Isabelle, uma amazona moderna.
O trio leva uma vida perigosa, pois passa as noites caçando os vampiros que aterrorizam os habitantes da região.
Certa noite, quando os dois irmãos estão prestes a eliminar um par de vampiros, aparece a fascinante Isolde. Ela é uma estranha vampiresa, que foi enviada à Terra pelo Senhor do Mundo para preservar a raça dos vampiros.
Paralisados pela súbita aparição, os dois irmãos são atacados pela dupla de vampiros.
Nesse instante, Antoine e a exuberante Ise, dois recém-casados, dirigem-se ao castelo num grande carro conversível. Ise está feliz; e seu longo véu branco flutua ao vento, enquanto o automóvel corre pela estrada.
Mais tarde, ao perguntar na aldeia o caminho para o castelo, Antoine descobre que os dois irmãos, que são primos de Ise, estão mortos.
A partir desse momento, tudo se torna estranho e alucinante; e os dois irmãos, que foram transformados em vampiros, hospedam o casal no castelo.
Antoine logo percebe que Ise corre perigo e tenta convencê-la a abandonar o castelo; porém, a jovem não quer ir embora e, após ter seu sangue sugado por Isolde, torna-se também uma vampiresa.
Depois, Isolde mata, por puro ciúmes, Isabelle. Por causa disso, os dois irmãos decidem eliminar a vampiresa. Então, matam Isolde e, numa praia, sob o esplendor da aurora, tiram suas próprias vidas e a de Ise – os três são destruídos pelos raios do Sol.

 

Este texto é, na verdade, o argumento do filme Le Frisson des Vampires

Cartaz do filme Le Frisson des Vampires (ilustração de Philippe Druillet)