Ano 6 - nº 18 - janeiro/abril de 2014

MORREU GROUCHO MARX
José Casel & Fernando Duarte



Repórter: Como o senhor gostaria de ser lembrado?
Groucho: Vivo. E, se isso não for possível, morto.

 

Morreu, no dia 19 de agosto deste ano, o grande cômico norte-americano Groucho Marx.
Filho de imigrantes europeus de origem judaica, Groucho Marx nasceu em Nova York, em 2 de outubro de 1890; e morreu, vitíma de pneumonia, no Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, na Califórnia, onde se encontrava internado.
Ele estava, atualmente, muito fraco e quase não tinha noção do que acontecia à sua volta. Sua companheira, a atriz Erin Fleming, uma canadense de 37 anos, tinha uma disputa com seu filho, Arthur (além dele, Groucho teve duas filhas: Miriam e Melinda), sobre uma herança no valor de dois milhões de dólares.
Groucho era um gigante entre os comediantes americanos, ao lado de Charles Chaplin, Harold Lloyd, Stan Laurel & Oliver Hardy e W. C. Fields. (...) Seu estilo de humor está profundamente marcado por um estilo cáustico, agressivo e injurioso, de uma inconveniência anárquica.

 

Este texto foi transcrito, com alguns acréscimos, do número 250/251 da revista Celulóide (Rio Maior, Fernando Duarte Editor, dezembro de 1977, pp. 139-140)