Ano 5 - nº 17 - setembro/dezembro de 2013

UMA SÁTIRA À SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA
tradução e versão: Marco Aurélio Lucchetti



Durante sua época dourada, os Irmãos Marx foram os herdeiros de Mack Sennett, criando um novo tipo de comicidade coletiva, unindo seus diferente talentos em uma curiosa síntese de enorme eficácia. Groucho, sempre mal-humorado e pessimista, impôs uma verborragia de uma mordacidade sem precedentes. Harpo, caracterizado por sua eterna mudez, criou (...) um personagem inquietante e imprevisível (algumas de suas cenas devem figurar por méritos próprios entre os maiores momentos do cinema cômico de todos os tempos). O vínculo entre Groucho e Harpo era Chico, tipo eminentemente prático e zombeteiro. Dotado de um gênio improvisador digno da commedia dell’arte, o trio constituiu uma força destrutiva inexorável, que satirizou de forma contundente os aspectos (políticos, sociais e econômicos) mais negativos da sociedade contemporânea. (...) Merecem ser lembrados aqui o exame médico da sra. Upjohn (Margaret Dumont) em Um Dia nas Corridas (A Day at the Races, 1937), a sabotagem de um espetáculo lírico em Uma Noite na Ópera (A Night at the Opera, 1935) e a ridicularização da monarquia em O Diabo a Quatro (Duck Soup, 1933)).

 

Este texto foi traduzido do verbete “MARX, Hermanos”, da Enciclopedia Ilustrada del Cine volume g-o (Barcelona, Labor, 1970, p. 390)