Ano 5 - nº 17 - setembro/dezembro de 2013

"MUITAS CENAS ERAM APROPRIADAS PARA ACROBATAS"
Groucho Marx



Uma Noite em Casablanca era uma produção independente, e ganharíamos uma percentagem nos lucros. O nome do produtor me escapa; mas, já que ele era um perfeito cavalheiro, vamos chamá-lo de Delaney. Infelizmente, ser um perfeito cavalheiro não é a única qualidade requerida para se fazer um bom filme. Pode ter sido só uma coincidência, mas, logo depois do lançamento do filme, ele se aposentou e se dedicou a um ramo de trabalho menos conspícuo.
Sei que pode parecer exagero; mas, durante as filmagens, Harpo dizia que podia ouvir meus ossos estalando, até mais alto que o som dos diálogos. Um dia, depois de uma cena particularmente dura, decidimos que estávamos passando dos nossos limites e que era mais que tempo de nos aposentarmos... enquanto ainda estávamos parcialmente vivos.
Muitas cenas eram mais apropriadas para acrobatas (quero dizer, jovens acrobatas) do que para três cômicos artríticos, mas nós corajosamente nos submetíamos a todas as violências.  Era necessário. Para começar, gostávamos do produtor. Segundo – e mais importante –, éramos proprietários do filme. Se fracassasse, não teríamos o dinheiro suficiente para pagar um ortopedista para endireitar nossos ossos.

 

Este texto foi transcrito do livro Groucho e Eu (Groucho and Me, tradução de Maria José Silveira, São Paulo, Marco Zero, 1991, p. 210), de Groucho Marx