Ano 4 - nº 14 - outubro/dezembro de 2012

REBECA
Rubens Francisco Lucchetti



O servo que buscava uma esposa para Isaac pediu:
– Javé, Deus de meu senhor Abraão, peço que o dia de hoje me seja favorável e que o meu senhor Abraão seja tratado com amor. Vou ficar junto à fonte, esperando as moças da cidade saírem para buscar água. Direi a uma das moças: “Por favor, incline o balde para que eu possa beber.” Se ela responder: “Beba você, e também vou dar de beber a seus camelos”, será a que destinaste para teu servo Isaac. Assim, saberei que tratas meu patrão com amor.
Ele ainda não havia acabado de falar, quando chegou Rebeca, carregando um balde no ombro. Era uma jovem muito bela e virgem. Não tinha tido relações com nenhum homem. Ela desceu à fonte, encheu o balde com água e subiu.
O servo correu para ela, e falou:
– Por favor, deixe-me beber um pouco da água de seu balde.
Rebeca disse:
– Beba, meu senhor – e prontamente inclinou o balde e lhe deu de beber.
Quando ele terminou de beber, ela informou:
– Vou dar de beber também para seus camelos, até que fiquem saciados.
Em seguida, esvaziou o balde no bebedouro e correu até o poço, a fim de tirar água para todos os camelos.

 

Rubens Francisco Lucchetti é ficcionista e roteirista de Cinema e Quadrinhos

 

Este texto foi transcrito do livro (inédito) Sagradas e Profanas