Ano 4 - nº 13 - junho/setembro de 2012

E KIM NOVAK SE TORNA POLLY



Uma saia de couro, uma blusa generosa, um revólver à cintura e um brilhante no umbigo: eis Kim Novak, tal como aparece no filme Kiss Me, Stupid, dirigido por Billy Wilder. Para que ela surgisse assim, houve um pequeno pandemônio. A preguiçosa Kim, que deixara acumular alguns gramas indesejáveis de gordura justamente nas partes mais expostas, aborreceu-se, quando Wilder mandou à sua casa, junto com o contrato, uma massagista sueca. Depois, Kim praticou ginástica, andou de bicicleta e caminhou pela praia de manhã. Enfim, sacrificou um de seus grandes prazeres: comer.
Durou dois meses o treino de Kim, que, afinal vitoriosa, se apresentou ao estúdio com a magreza exigida pelo diretor. Assim surgiu Polly the Pistol, a personagem perigosa, capaz de encostar o cano do revólver na barriga de um homem  e ordenar-lhe: “Beije-me, idiota.”
Kim, sem revólver e com muito pouco coisa mais, apareceu recentemente numa reportagem da revista Playboy, famosa por ter fotografado nuas as atrizes de Cinema com plástica bastante para isso. Ninguém escapa da Playboy (...). Kim não escapou, mas também não gostou. As fotos foram tiradas no set de Servidão Humana; e, segundo Kim, não lhe informaram que era para a revista. Entretanto, ela não pode reclamar muito, porque foi por intermédio dessas fotos que Billy Wilder, um homem tão experiente, se arrependeu de não tê-la contratado antes.
Polly the Pistol, ou Kim, mais magrinha, é o mais novo tipo criado pelo diretor responsável pela criação da Marilyn Monroe de Quanto Mais Quente Melhor ou a Shirley MacLaine de Irma La Douce. Mais do que a oportunidade de emagrecer e dar tiros, Kim encontra, nas mãos de Wilder, a sua hora de representar um grande tipo de mulher.

 

Este texto foi transcrito do número 282 da revista Cinelândia (Rio de Janeiro, Rio Gráfica, 1ª quinzena de agosto de 1964, p. 53)