Ano 4 - nº 13 - junho/setembro de 2012

A CONCORRENTE DE MARILYN MONROE



Exemplo típico de um bem-sucedido produto manufaturado por um grande estúdio de Hollywood, Kim Novak nasceu para combater outra loira famosa e beneficiou-se de um aparelho que funcionou muito bem nos anos 1940 e 1950, quando os artistas tinham ao seu dispor uma máquina publicitária gratuita e recebiam até aulas de interpretação.
Tudo começou na primeira metade da década de 1950. Nessa época, Marilyn Monroe faturava horrores para a Fox; e a Columbia – que só contava com Rita Hayworth, então em decadência – resolveu lançar um novo “produto”: uma garota loira e bonita que havia sido Miss Deepfreeze (Miss Congelador) e fazia uma turnê patrocinada por um fabricantes de geladeiras. A garota se chamava Marilyn Novak, havia nascido em 1933 (...) e toda a sua experiência com as câmeras era uma pontinha em Um Romance em Paris (1954). O chefão da Columbia, o todo-poderoso Harry Cohn, para disfarçar o óbvio trocou-lhe o nome para Kim e a escalou para A Morte Espera no 322 (1954), dirigido pelo ex-ator Richard Quine, que se tornaria seu namorado e responsável por outros de seus sucessos: Sortilégio de Amor (1958), O Nono Mandamento (1960) e Aconteceu num Apartamento (1962).
Kim também exibiu sua sensualidade em Férias de Amor (1955) – em que fez uma cena clássica de dança com William Holden – e Um Corpo Que Cai (1958), de Alfred Hitchcock, com quem se desentendeu durante as filmagens.
Mesmo seus críticos mais ferrenhos reconheceram seu bom desempenho em O Homem do Braço de Ouro (1955) e em Meus Dois Carinhos (1957), ambos co-estrelados por Frank Sinatra, com quem teve um romance. Outro caso de amor, com o cantor e ator negro Sammy Davis Jr. (falecido em 1990), quase acabou com a carreira de Kim, devido ao preconceito racial que existia na época. Coube a Harry Cohn “ordenar” que Sammy se afastasse de sua estrela. “Pedido” esse cavalheirescamente aceito pelo cantor.
Em 1965, já considerada “solteirona” para os seus 32 anos, Kim casou-se com o ator inglês Richard Johnson, seu galã no fracassado As Aventuras Escandalosas de uma Ruiva (1965). Divorciaram-se menos  de um ano depois.
Afastada do Cinema por falta de bons papéis e morando sozinha na sua casa de praia em Carmel, Kim conheceu o veterinário Robert Malloy (...), que passou a cuidar dos seus cavalos, cabritos e até de uma lhama, fiéis companheiros da estrela. Casaram-se em 1976 – “assim ele não me cobrava mais as consultas”, ironizou Kim – e, continuam juntos até hoje.
Ocasionalmente, Kim sai de seu retiro para trabalhar em filmes como Apenas um Gigolô (1979) e A Maldição do Espelho (1980).
Recentemente, estrelou The Children (1990), com Ben Kingsley e Geraldine Chaplin.

 

Este texto foi transcrito do verbete “Kim Novak”, do livro Astros e Estrelas (São Paulo, Nova Cultural, 1991, pp. 405-406)