Ano 3 - nº 11 - outubro de 2011/janeiro de 2012

UM CLÁSSICO DA LITERATURA



 A heroína de A Indigna (Tess of the D’Urbervilles, 1891) é uma jovem pobre da região rural da Inglaterra. Ela é seduzida pelo rico Alec D’Urberville. Depois, casa-se com o filho de um pastor, que a abandona ao saber de sua aventura anterior. Jogada entre os dois homens, repudiada pela sociedade, Tess termina por matar Alec. O tema era explosivo, pois feria o moralismo e o puritanismo da era vitoriana. “Com exceção de alguns momentos passados entre as vacas, não há um brilho de sol neste romance”, escreve a Saturday Review. Mas este ataque constituía uma exceção: como o autor de A Indigna, Thomas Hardy, previra, a maior parte da crítica aceitou a obra, referindo-se a ela com os adjetivos respeitosos habitualmente reservados aos clássicos da Literatura.

 

Este texto foi transcrito de Os Imortais da Literatura Universal volume II (São Paulo, Abril Cultural, 1972, p. 143)